Ausseer Hut: desde 1532 um chapéu para cada cabeça.

A Ausseer Hut, em Bad Aussee, no Steiermark – Áustria – é a manufatura de chapéus mais antiga da Europa, de 1532, atendendo países com tradição chapeleira e mais de 250 grupos culturais. Um ofício personalizado que passa de geração a geração.

Por Denis Gerson Simões, em Bad Aussee – Áustria.

“Cada cabeça, uma sentença”, já diz o ditado. Contudo, mais do que ideias próprias, cada pessoa tem uma fisionomia diferente, corte de cabelo distinto, gostos e estilos particulares. Assim, quando o assunto é “chapéus” é necessário ter um olhar personalizado para cada usuário, adequando as suas formas ao padrão do usuário. Isso também é válido quando se trata de um “Hut” para um traje típico: um adereço feito de acordo com cada usuário e sua indumentária, sendo moldado de acordo com o conjunto como um todo.

Steiermark e seus belos lagos: um lindo destino de turismo e tradição.
Manufatura da Original Ausseer Hüte.

Podemos dizer que foi sorte conhecer a Original Ausseer Hüte. Tínhamos a necessidade de adquirir um chapéu para nosso traje austríaco de casamento e nada melhor do que fazê-lo em uma viagem à Áustria. O destino eram os lagos do Steiermark, belo ponto turístico.

A primeira surpresa positiva ao chegarmos foi descobrir que a região é referência em trajes e moda folclórica, destacando a oferta de tecidos e acessórios. Fomos procurar referências nos guias turísticos e não tardou a termos uma dezena de opções de lojas para visitar: de pronta entrega às confecções personalizadas sob-medida. O anúncio da Ausseer Hüte surgiu em um catálogo do comércio local. De imediato soubemos que iríamos passar por lá. Uma ótima experiência que rendeu bem mais do que uma ótima compra.

A loja oferece uma variada gama de opções, com destaque aos chapéus tradicionais.

A Original Ausseer Hüte

Chegamos à loja faltando um minuto para a pausa do almoço, contudo a Sra. Klaudia Reiter prontamente nos atendeu. Trouxemos as informações do modelo que queríamos – texto e imagem – e ela mostrou-nos as opções possíveis de serem trabalhadas. Achávamos que era somente saber o tamanho da circunferência da cabeça para poder comprar o certo: estávamos enganados. Na manufatura de um chapéu é observado o que se alinha a cada rosto e pessoa. Necessitou algumas provas e testes para ela ver como moldar a peça.

A Original Ausseer Hüte faz chapéus desde 1532, sendo a mais antiga manufatura deste tipo da Europa. Ainda hoje mantém um conjunto de técnicas seculares que passa de geração a geração na família. Dentre os modelos que ainda seguem sendo feitos estão o “Erzherzog Johann” e “Anna Plochl”, datados do século XIX, e uma grande quantidade de formatos específicos de entidades culturais, como grupos de danças, bandas, orquestras, entre outros.

Destacada boa qualidade no que se faz: do atendimento ao produto final.

Segundo a Sra. Reiter, o chapéu nasce de um cone de fibras, que pode variar de acordo com os diferentes materiais e cores disponíveis – como o pelo de coelho (Kaninchen) e lã de ovelha. Ele é molhado, aquecido entre 100° e 200° e posto em formas de madeira ou metal que vão para o secador. Todo o processo é manual e permite que se aplique algum ajuste ou mudança na peça. Após estar seco e firme ocorrem os acabamentos, com as fitas, bordas, cordas, apliques, entre outras possibilidades.

Interior da Manufatura de Chapéus, com os moldes e equipamentos para aquecer e moldar.

A grande questão é que o processo pode ser reiniciado, colocando vapor e realizando novos ajustes de tamanho e forma. Desta maneira o produto final, o chapéu pronto, acaba personalizado, moldado ao perfil do comprador. Isso faz a diferença entre comprar algo “a pronta entrega” em escala industrial e ter algo adequado ao usuário – se não feito todo de acordo com o pedido do cliente.

Klaudia Reiter e o equipamento que aquece a fibra do chapéu e permite a modelagem.
Entrevista com a Sra. Klaudia Reiter, na manufatura da Original Ausseer Hüte

Questionada sobre as escolhas dos modelos pelos clientes, a Sra. Reiter destacou que não há uma relação dos mais vendidos com o preço. Em média um chapéu custa entre 90 e 150 euros e o mais pedido é o preto com fita verde, tradicional na região, que casa bem tanto com a calça de couro – Lederhose – quanto com um jeans moderno. Mas os valores podem subir com a costura de tecidos especiais e a aplicação de enfeites: vai de acordo com cada contexto. Penas de aves típicas cuidadoramente trabalhadas, peças em prata, além do conhecido Gamsbart – feito artesanalmente com o pelo do Cervo – estão entre as possibilidades.

Há uma variedade de joias e adereços para os chapéus, agregando valor ao produto.

Chapéus e trajes típicos

O traje típico não é um uniforme. Ele vem das relações de décadas ou séculos da população com as vestimentas do cotidiano. O chapéu é assim também: um diálogo das pessoas com as peças que usam para representar suas tradições e culturas. Era normal que em cada localidade houvessem algumas opções típicas, contudo com o passar do tempo e a força da moda, muitas dessas variações se perderam no esquecimento. O importante é, conhecendo bem os costumes locais, identificar o que é “regra” – que precisa ser exatamente daquela forma – e o que é “toque pessoal ou familiar” – sendo detalhes e opções que variam de pessoa para pessoa.

Pintura tradicional em prédio de Bad Aussee, na Áustria.

Conversando com a Sra. Reiter foi possível identificar elementos tradicionais e modernos no uso de um chapéu. Em muitos casos não há, necessariamente, uma forma “certa” de utilizar. Um exemplo é como posicionar o chapéu na cabeça: há quem o faça de modo mais solto – como se observa em muitas imagens de época – e outros já mais presos, ficando o cabelo mais dentro do chapéu – como é costume na atualidade; há quem deixe ele reto, outros mais enviesados para frente, para trás ou para os lados. Em casos de peças femininas, os diferentes penteados, que foram sendo trabalhados com o tempo, acabaram também posicionando os chapéus de modo diferente.

Para fazer um chapéu na Ausseer Hut

Quem quer conhecer melhor a história e os chapéus da Original Ausseer Hüte pode acessar o site ausseer-hut.at . Contudo, se quiser comprar um modelito, somente pela loja mesmo, para poder fazer os devidos ajustes ao usuário: as vendas a distância ocorrem para aqueles de quem a loja já tem as medidas ou para grandes grupos. Famosos como Arnold Schwarzenegger e Catarina de Mônaco já adquiriram seus modelos na Ausseer Hüte. Por isso, para quem quiser, programe-se para passear pela região dos lagos do Steiermark e também conheça os trajes típicos.

Produto final do chapéu encomendado: trabalho de primeira qualidade.

One thought on “Ausseer Hut: desde 1532 um chapéu para cada cabeça.”

  • Ameeeeeei, que chapéu lindo. Tudo de primeira qualidade. E os broches? queria aquele com 2 Edelweiss brancas, à direita, em cima. Lindos. Um primor essa loja. Passeio lindo. Obrigada Denis. 🙋

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar as seguintes tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>