Uma moda chamada Lederhose: estilo regional com ares atualizados.

Por Denis Gerson Simões, de Munique – Alemanha.

De uma peça de vestimenta de camponeses, a calça de couro na Baviera hoje faz parte da moda urbana e movimenta um grande comércio internacional. Ela se encaixa nos mais variados estilos, cores e gostos, tanto marcando tradicionais momentos – a exemplo de casamentos, batizados e formaturas – quanto estando em meio ao entretenimento e passeio de final de semana. De toda forma, mesmo tendo traços das clássicas indumentárias sulinas, a versão contemporânea da Lederhose tem maior liberdade de uso e casa com peças mais despojadas.

Em conversa com moradores de Munique foi possível constatar que faz aproximadamente 30 anos que o uso de roupas “típicas” retornou ao cenário da moda casual. O grande carro chefe desse movimento foi o Dirndl – veste a estilo camponesa: saia com colete e avental – que já nos anos de 1960 e 1970 estampavam revistas como a Burda Schnitt. Entretando, a Lederhose não ficou para trás, gradativamente deixando a exclusividade das Trachtenverein ou mesmo atividades nas montanhas e chegando aos parques e Biergärten.

Roupa de Oktoberfest?

E enganam-se os que acreditam que a Lederhose é mero modismo da Oktoberfest. Como dizem na capital bávara, “o traje não é só para a Wiesn“, fazendo referência ao uso da moda folclórica na Theresienwiese – local dentro de Munique onde se realiza anualmente a tradicional Festa de Outubro. Muitos bávaros de hoje passam a utilizar suas indumentárias de moda tradicional a partir de maio, quando as temperaturas começam a subir, e só as guardam no armário pelo mês de outubro, quando o outono destaca os momentos mais gélidos.

Mercado popular: tendências, preços e tudo junto misturado.

Na Steindl Trachten, por exemplo, só em calças de couro curtas há uma pluralidade de tamanhos e cortes… ao mesmo tempo que se somam modelos parecidos uns com os outros. Foto: Denis Simões.

Também não se pode esquecer que na atualidade há uma grande oferta de moda folclórica na Baviera e Áustria, aquecendo um mercado logista e consumidor. Grandes lojas com uma variedade invejável de peças atraem compradores ávidos por novidades a partir do mês de maio, com as coleções primavera-verão. São populares a Daller Tracht München, Steindl Trachten, Pöllinger Leder & Tracht, entre outras, que exploram tendências e movimentam as vendas. Mesmo as famosas C&A, Kaufhof, Karstadt, que se caracterizam pela cultura mais pop, tem seu setor de Trachtenmode. Até mesmo os brechós em Munique tem seu cantinho tradicional. Para a alta sociedade é inegável que as vestimentas exclusivas são as preferidas, em boutiques ou modistas renomadas: unem tecidos caros, couro selecionado, bordados a mão e valores consideráveis.

Mesmo na internet lojas grandes como a C&A comercializam calças de couro e demais elementos da Moda Folclórica, o que mostra que há consumidores interessados.

Mas não sejamos ingênuos, é em agosto, setembro e outubro que as vendas estouram. O verão somado aos ares da Oktoberfest amplia os interesses pela Trachtenmode. Nesse momento as Lederhosen apresentam especial atrativo aos rapazes e moças, alguns ousando a comprar peças com cores modernas, cortes diferentes e qualidade de material questionável. Não se pode negar que a Festa de Outubro propicia muitas vendas e os turistas compram muito para entrar no clima da Wiesn. É neste contexto que muitas calças de couro vindas da Austrália, China, Paquistão, Bangladesh, entre outros países, chegam ao público, ofertadas a preços mais atrativos, com couros de menos durabilidade e estéticas que foge da bávaras. Nesses momentos a velha expressão impera: no escuro todo o gato é pardo.

Combinações

O uso contemporâneo da Lederhose é bastante plural. É possível encontrar um loirinho “arrumadinho” sentado em sua bicicleta e pedalando de calça de couro no parque, como também ver um negro despojado sorridente com rastafári e de Lederhose na estação de trem. Os usos da moda foram se rearticulando, seja por desejo ou mesmo para estimular o bom humor. De todo modo, há algumas combinações que se fazem típicas, sempre com novos toques da moda.

A composição de calça de couro, meia longa, sapatos rústicos, suspensório, camisa colorida e lenço no pescoço formam o tradicional pacote vendido pelas lojas populares. Em muitos casos são agregados o colete e o chapéu, o que exige um maior investimento financeiro no conjunto. Há quem goste de substituir o Hosenträger por um sinto largo com fivela, trazendo um ar mais casual. No fundo há na compra desses kits a busca pelo bom custo-benefício para se sentir incluído no clima bávaro e não gastar muito dinheiro, uma alternativa que não se milita a turistas ou estrangeiros.

Na moda há o constante ajuste entre o moderno e o tradicional, renovando contextos e permitindo que se possa consumir novos produtos “sempre novos”. Foto: Denis Gerson Simões.

A tendência vista nos últimos anos é de ofertar calças mais cômodas – com couro flexível e marrom – trazendo bordados em maior quantidade mas ao mesmo tempo mais leves. Paralelamente está sempre em voga o formato mais tradicional, em preto com figuras típicas bordadas em verde, contudo acabam transitando menos entre os que mudam conforme a moda. O atual modelo de camisa vigente é o quadriculado, geralmente em branco com azul, ou com verde ou com rosa. As meias tricotadas em algodão crú – próximo de um bege – e elastano estão tendo boas vendas, tirando das gôndolas as populares brancas, assim como as verdes com cinza.

E todo o bávaro utiliza Lederhose no domingo?

Cuidado com generalizações: nem todo o bávaro gosta de calça de couro. Os alemães no geral, muito menos. Mesmo sendo um verdadeiro símbolo da cultura sulino-alemã, assim como acontece em outras regiões alpinas, a Lederhose é vista por muitos como piegas, antiquada ou mesmo que deturpa aspectos históricos da antiga Lederhose. Nada de anormal: em qualquer sociedade terá os que gostam de algo dito tradicional e outros que simpatizam com outros estilos. As releituras da moda do passado no presente mostram que alguns gostos podem se fazer atemporais e que também a ação midiática em símbolos identitários permitem a sobrevida de algumas tendências.

É importante destacar que essa moda não representa um traje típico na sua concepção romântica, com os modelos históricos. A Lederhose popular assim como o Dirndl feminino são, sim, frutos do presente que, de certa forma, buscam valorizar a identidade regional. São usados para momentos sociais e festivos. Para ocasiões culturais e/ou oficiais é tradicional o uso da vestimenta que segue as linhas do século XIX. Também trata-se de uma característica da Baviera que segue similaridades com os austríacos e demais alpinos, não sendo uma característica dos demais alemães, que seguem como conduta de vestuário toda uma outra lógica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar as seguintes tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>