O Homem Orquestra: Henrique Uebel

Henrique Uebel, também conhecido como o Homem Orquestra realizou o feito de tocar até sete instrumentos simultaneamente.

Você já ouviu falar de Henrique Uebel? Se mora no Vale do Taquari é possível já ter visto ruas , instituto e museu com este nome. Contudo, se tiver menos de 50 anos e for de outra região é muito provável que não saiba de quem se trata. Ele se denominava o Homem Orquestra: tocava sete instrumentos ao mesmo tempo.

Nascido na Linha Schmiedt, antigo município de Estrela e atual Westfália, ele se empenhou em um projeto de vida: fazer música como se fosse uma pequena orquestra. Segundo o neto, Airton Henrique Uebel, ele tocava 11 combinações diferentes, variando os instrumentos, tendo seis (6) ou sete (7) simultâneos.

Mas qual o motivo para alguém tocar muitos instrumentos simultaneamente? Elio Dahmer coloca que tudo começou por uma doença que impediu Uebel de trabalhar na lavoura. O neto destaca que aos 28 anos seu avô teve uma pleurisia e precisou encontrar uma forma de sustentar a família: sendo músico de uma forma diferenciada, ideia que veio quando estava acamado no hospital.

Na década de 1930 ele começou a construir a primeira versão do seu instrumento. Sua quinta e última atualização, feita em 1961, uniu piano, bandoneon, acordeon, violoncelo, violino, flauta, gaita de boca, trompete, escaleta e instrumentos de percussão. Para poder tocar tantos mecanismos simultaneamente ele teve que desmontar grande parte dos equipamentos e uní-los de forma engenhosa, usando das pernas e braços para movimentá-los, inclusive prendendo peças aos cotovelos: o corpo precisava estar todo em sintonia. O fole ele acionava com o joelho esquerdo e tocava os botões do acordeon com os dedos dos pés. […] No maquinário do bandeneon também era acionado o trompete, disse Airton Grave, músico. Espelhos eram importantes para que pudesse enxergar partes encobertas.

Grave destacou que o repertório dele era essencialmente de música alemã, mas aquela já feita aqui [no Brasil]. Uma outra parte de tangos argentinos, mazurcas, habaneras e se complementava com valsas, dobrados, marchas, polcas. […] Era o repertório que se tocava em nossa região aqui.

Esse trabalho único no mundo levou ele, em 1959, a fazer uma tournée pela Alemanha, tocando em programas de rádio e TV, alcançando grande público em toda a Europa. Faleceu em 1973. Hoje o Instituto Henrique Uebel preserva sua história e incentiva o ensino de música no presente. O seu quinto instrumento está exposto no museu, que recebe seu nome, no município de Teutônia. Há dois CDs que resgatam a sonoridade do Homem Orquestra.

Visite o site do Instituto (ihu.org.br) e veja o vídeo sobre Henrique Uebel em youtube.com/derhut a partir de 04.04.2018.

 

.

O Neto, Airton Henrique Uebel, apresentando o instrumento tocado pelo avô. 21/02/2018. Foto: Denis Simões.

Imagem do casal Uebel com o quinto instrumento fabricado por Henrique. Fonte: Instituto Henrique Uebel.

Segundo volume de áudios de Henrique Uebel em apresentações. Fonte: Instituto Henrique Uebel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar as seguintes tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>