Kikeriki e as danças para palco ou meio do público

Há uma norma tradicional dos artistas em palco que diz não dar as costas para o público. Como sempre, todas as regras são para, inevitavelmente, serem quebradas em algum momento. De toda forma, há uma clara diferença em apresentar-se com algum espetáculo de frente para uma platéia ou rodeado pelos espectadores.

No caso dos grupos de danças populares alemãs isso é um problema, pois a formação circular da maioria das coreografias acaba por deixar a maior parte do público a ver as costas dos dançarinos (geralmente das damas). Isso acontece pois normalmente as composições eram feitas para o divertimento dos dançarinos, que estavam em uma pista de baile. Já há casos de melodias mais contemporâneas em que a formação para palco é considerada, como na Lange Reihe, no Fröhlicher Weintanz e no Besentanz.

Uma possibilidade para não se indispor com os diretores de eventos em palcos é adaptar algumas danças, que assim o permitirem, a realizar trechos da música em meia lua ou mesmo gerar formações diferenciadas sem alterar os passos da dança em si. Esse tipo de alternativa, de driblar o círculo, é bastante utilizada na Europa, sem necessariamente desfazer a lógica da coreografia, além de manter integralmente a música e suas repetições. Vamos trabalhar esse princípio com a Kikeriki, música que se repete muitas vezes e prevista para círculo ou pares livres na pista.

Desvendando a descrição (3): Kikeriki

Também conhecida como Gickerl-Polka, faz parte das danças de base da Baviera. Ela tem um conjunto amplo de variações conhecidas nas Florestas da Baviera e da Boêmia, Niederbayern e Oberpfalz.

FORMAÇÃO INICIAL: número livre de pares. Encontram-se em posição convencional de dança (Gewöhnliche Fassung) sobre a circunferêcia do círculo, com os homens de costas para o centro.
PASSO: caminhado (Gehschritt).
SEQUÊNCIA:
01-02: Começando com os pés externos do par (ele esquerdo e ela direito), dão quatro (4) passos caminhados para frente.
03-04: No lugar, o casal realiza um giro (Dreher) para a direita com quatro (4) passos;
05-08: Repete igual a 01-04;
09: Com os pés externos do par, colocar a ponta do pé para frente (Tupf) encostando-o no chão. Logo depois, retorna com o pé para o lugar.
10: Com os pés internos do par (ele direito e ela esquerdo) repetem o mesmo que a 09.
11-12: No lugar, o casal realiza um giro para a direita com quatro (4) passos;
13-16: Repete igual a 09-12;
A coreografia repete de 01-16 quantas vezes a música tocar.

Fontes: DANCILLA.com.Kikeriki.
DOBERENZ, Sigrid. Das Federbett: ein Tanzkurs mit deutsche Volkstänzen.

PALCO E CÍRCULO

A descrição claramente mostra a Kikeriki em sua formação tradicional, em círculo. Contudo, é usual nos Tanzboden ela ser dançada de modo livre. Para o palco pode-se organizar formações em linhas, colunas, meias-luas, entre outros, evitando dançarinos de costas para os público. A dança não muda e o conjunto fica dinâmico e interessante.

CUIDADO COM A FORMAÇÃO

Nesta Kikeriki segue a mesma posição em Gewöhnliche Fassung até o final. No geral, nas descrições só muda a posição se explicitamente assim pedir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar as seguintes tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>