Projeto “13 Danças / 13 Tänze”

Um grande trabalho coletivo. Esta é a síntese do “Projeto 13 Danças / 13 Tänze”, um desafio iniciado em 2017 de , a partir do Brasil, realizar a gravação de áudios e vídeos de danças tradicionais da Europa, assim como descrevê-las em língua portuguesa. O que iniciou com a seleção das 10 coreografias típicas mais apreciadas pelos grupos de danças folclóricas alemãs do Brasil, passou a um projeto que congrega entidades dos dois lados do oceano, reaproximando comunidades.

13 danças, com 13 grupos em 13 cidades

Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Kirchleinburg, de Igrejinha-RS, gravando Neu Spindel. Primeiro grupo a participar do Projeto.
Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Kirchleinburg, de Igrejinha-RS, gravando Neu Spindel. Primeiro grupo a participar do Projeto.

O nome surgiu de uma pergunta: “o que se quer fazer?” A resposta foi precisa: “gravar 13 danças”. O segundo questionamento: “gravar áudios ou vídeos?” E se chegou a um terceiro questionamento: “por que não os dois?” Dizem que os descendentes de alemães são teimosos… e de certa forma esse trabalho nasceu da persistência para provar que é possível gravar áudios, com boa qualidade, de danças alemãs no Brasil. O número “13” não tem nada de supersticioso ou de amuleto, sendo simplesmente a média de músicas que geralmente se coloca em um CD. E assim surgiu “13 Danças / 13 Tänze”.

Hoje temos mais que esse número de entidades envolvidas; contudo seguimos a meta de 13 cidades diferentes, com 13 danças típicas, que são a coluna vertebral desse projeto: Auftanz, Bändertanz, Gigue, Hetlinger Bandriter, Herr Schmiedt, Jägermarsch, Kleiner Mann in der Klemme, Neu Spindel, Salzburger Dreher, Siebenschritt, Sternpolka, Zigeunerpolka e uma coreografia inédita.

Os músicos e as músicas

David Garcia, no violino, e Fernando Ávila, no acordeom. Gravações em 2017.
Ensaio com David Garcia, no violino, e Fernando Ávila, no acordeom. Gravações em 2017.

Os primeiros grupos de danças alemãs no Brasil necessitavam de partituras, discos de vinil ou fitas cassetes para terem as melodias das Volkstänze. Passados mais de 60 anos desse princípio ainda se mantem muitas das gravações deterioradas pelo tempo, provindas do século passado. Mesmo na Alemanha ocorrendo novas mixagens e gravações a partir dos anos 2000, com a pluralização dos CDs e MP3s, algumas das tradicionais melodias não foram melhoradas. Assim, surgiu a ideia de promover a gravação em Porto Alegre dos áudios de uma seleção de danças populares da Europa, mantendo o estilo tradicional, contudo sem abdicar do sotaque local.

Assim, até o momento ingressaram nesse projeto de gravação dos áudios: David Garcia no violino, Denis Simões no acordeom, Eduardo Kaiser no clarinete, Fernando Ávila no acordeom, Jonas Badermann no acordeom, Henri Kaiser no trompete, Mateus Kaiser no bombardino, Luiz Maurício Timm na flauta, Luiza Prohmann no contrabaixo e Walter Krause no violão. Na técnica dos áudios está Tony De Lucca, da Produtora Shout, e como coordenador das gravações Walter Krause.  Os arranjos são coletivos, com especial trabalho de Fernando Ávila (Neu Spindel e Herr Schmiedt) e David Garcia (Gigue). As gravações ocorrem na Produtora Shout, com Tony De Lucca na técnica.

As 13 cidades 

Böhmerwald Sing- und Trachtengruppe München
Böhmerwald Sing- und Trachtengruppe München

No princípio logo após a definição das 13 danças se pensou em agregar 13 grupos de danças alemãs; contudo, o projeto foi além dos números.  Em pouco tempo várias entidades se voluntariaram a participar, tendo em alguns casos mais de um Volkstanzgruppe por município. Também, para mostrar a diversidade do diálogo entre Brasil e Alemanha, ingressou no projeto um grupo de tradições gaúchas, para expor como essas melodias e coreografias germânicas acabaram sendo ressignificadas no sul do país. Assim, ficaram definidas 13 cidades para sediarem o “13 Danças / 13 Tänze”, sendo as 12 selecionadas até o momento: Blumenau-SC, Curitiba-PR, Gravataí-RS, Igrejinha-RS, Teutônia-RS, Pinhalzinho-SC; Poço das Antas-RS, Porto Alegre-RS, Santa Maria do Herval-RS; São Bento do Sul-SC; Westfália-RS e Munique – Alemanha.

Parceiros do Projeto

Estão como parceiros o Der Hut (www.derhut.com.br), Hin & Weg (www.hin-und-weg-volkstanz.com), Centro Cultural 25 de Julho de Porto Alegre (www.25brasil.com.br), FECAB e Associação Cultural Kirchleinburg (@AssociacaoKirchleinburg).

Riesengebirgs-Trachtengruppe München
Riesengebirgs-Trachtengruppe München

Como grupos participantes estão: Deutsche Volkstanzgruppe Tanz mit uns (Porto Alegre-RS); Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Kirchleinburg (Igrejinha-RS); Invernada do CTG Aldeia dos Anjos (Gravataí-RS); Tanz- und Spielgruppe Gartenstadt (Blumenau-SC);  Associação Artístico-Cultural Teutônia (Teutônia-RS); Bömerwald Sing- und Volkstanzgruppe München (Munique-Alemanha) Riesengebirgs-Trachtengruppe München (Munique-Alemanha); Grupo Folclórico Musikfreunde (Poço das Antas-RS); Jäger Volkstanzgruppe (São Bento do Sul-SC); Heimatland Volkstanzgruppe (Pinhalzinho-SC); Westfälische Tanzgruppe (Westfália-RS); Grupo Folclórico Teewald (Santa Maria do Herval-RS); Concordias Germanische Volkstanzgruppe (Curitiba-PR); Grupo Folclórico Germânico Alte Heimat (Curitiba-PR); Original Einigkeit Tanzgruppe (Curitiba-PR).

Coordenação

A coordenação executiva do Projeto “13 Danças / 13 Tänze” é de Lise Leitzke e o geral de Denis Gerson Simões.